México aumenta imposto para refrigerantes

CIDADE DO MÉXICO – Em um dos países mais obesos do mundo, as autoridades mexicanas decidiram no fim de outubro aumentar os impostos sobre alimentos muito calóricos como os refrigerantes (entre outros). Estes impostos têm sido adotados em uma vasta reforma tributária afetando o segundo maior país da América Latina. Todos os alimentos que contenham mais de 275 calorias por 100 gramas serão tributados no próximo ano para 8 % de IVA (imposto sobre o valor acrescentado).

O presidente do México Enrique Peña Nieto afirmou poucas horas antes da votação que a reforma tributária que afeta os alimentos calóricos é necessária em um país afetado por uma “verdadeira epidemia de obesidade”. Ele também recomenda outras medidas como nas embalagens, programas de educação alimentar e maior incentivo ao esporte.

refrigerantes

Uma alimentação e uma falta de exercício levou a uma situação dramática, ao observar o efeito na taxa de obesos mais elevada que nos Estados Unidos. No México, 32,8 % da população é obesa. Nós falamos em obesidade quando o IMC é superior a 30.

Além disso, 70% dos adultos mexicanos estão com sobrepeso (ou obesidade) e 30% dos jovens e adolescentes estão com sobrepeso ou já obesos.

Também se estima que quase 10 % dos mexicanos têm diabetes, a grande maioria de diabetes do tipo 2, sendo este último fortemente relacionado com a obesidade. A epidemia de diabetes matou 500 mil pessoas ao longo dos últimos seis anos no México, de acordo com algumas organizações que apoiam a nova lei.

Observamos também que para alguns produtores de refrigerantes, o México é um dos seus maiores mercados, se não o maior em termos de volume (consumo por habitante). A clara ligação entre refrigerantes e obesidade não está mais em dúvida. As indústrias de alimento têm naturalmente exercido um lobby importante para evitar que a lei seja aprovada, o que finalmente acabou não tendo o impacto esperado.

A maioria das organizações de saúde, como a OMS tem apoiado esta legislação.

Por Xavier Gruffat (farmacêutico), 5 de novembro de 2013 - © Sebalos - Fotolia.com

Ler mais notícias no site Criasaude.com.br